Polenta com Ratatouille

Há inúmeras receitas diferentes de ratatouille: umas de forno, outras só de fogão, outras de forno e fogão. Todos os anos faço alguma versão mais ou menos inventada porque gosto muito desta combinação de sabores e estes ingredientes encontram-se sempre ao mesmo tempo na minha cozinha!

Esta é a altura ideal para fazer ratatouille já que é a estação dos ingredientes principais: o tomate, a beringela e a courgete. Além destes, e também de época, podem juntar pimento, por exemplo, que fica muito bem.

Esta receita com polenta torna o ratatouille num prato mais substancial e pode ser uma boa refeição leve ou um belo acompanhamento!

IMG_1896

IMG_1902

  • 1 ch de polenta
  • 3 ch de água
  • 1 cebola pequena
  • 1 beringela
  • 1 courgete pequena
  • 1 ou 2 tomates
  • 1cebola
  • 1 dente de alho (opcional)
  • azeite q.b.
  • sal q.b.
  • ervas da Provença q.b. (ou uma mistura de ervas aromáticas secas, a gosto, como tomilho, alecrim e oregãos, por exemplo)
  1. Para preparar a polenta, pique um dente de alho e leve-o ao lume com um fio de azeite, num tacho. Este passo é opcional, pode optar por simplesmente cozer a polenta em água.
  2. Junte no tacho 3 chávenas de água e deixe levantar fervura.
  3. Tempere a água com uma pitada de sal e junte a polenta.
  4. Reduza o lume para o mínimo e mexa frequentemente. Deixe cozer cerca de 15 minutos ou até a água ter sido absorvida.
  5. Espalhe a polenta no fundo de um tabuleiro de forno (usei um quadrado de 22×22 cm) e deixe arrefecer.
  6. Corte uma cebola em rodelas finas e leve ao lume com um fio de azeite, até ficar translucida.
  7. Entretanto, prepare os vegetais do ratatouille, cortando-os em rodelas fininhas.
  8. Disponha as rodelas de tomate, beringela e courgete entrecaladas e parcialmente sobrepostas.
  9. Salpique com umas pedrinhas de sal, ervas da provença e regue com um bom fio de azeite.
  10. Leve ao forno pré-aquecido a 200o, cerca de 30 a 40 minutos ou até os vegetais estarem ao seu gosto.

img_1931.jpg

 

salada de grão e beldroegas com pêssego

 

Fiz esta salada já no início de Agosto mas como, felizmente, este Verão continua no pico e continua a época dos tomates e das beldroegas, ainda vão bem a tempo de experimentar este prato fresquinho e colorido.

Para quem não conhece, as beldroegas são ervas geralmente chamadas daninhas mas que, na verdade, são super ervas: muito ricas em ómega 3, vitaminas a, b e c e minerais. O facto de serem ervas “daninhas” neste caso é uma vantagem. Não precisam de ser cultivadas porque crescem espontaneamente e não dão trabalho nem despesa. Para quem não tem acesso a terras cultivadas, pode encontra-las em lojas de produtos biológicos e alguns supermercados.

Só as provei pela primeira vez no ano passado. Como não tinha a certeza se as sabia identificar, guardei uma fotografia da Internet no telemóvel e fui procurá-las na horta da minha mãe. Percebi que são a coisa mais fácil de encontrar no verão, nos campos cultivados: há em por todo o lado e crescem desalmadamente!

Para quem, como eu, as colhe da terra, tenho de avisar que dão um bocado de trabalho a preparar e lavar porque as folhas são miudinhas e ficam muito junto à terra. Cada vez que trago um molho de beldoregas para casa, já sei que vou ter uma grande empreitada com a barriga encostada na banca. Mas depois de tudo arranjado, acho sempre que valeu a pena o sacrifício! Uso-as em sopas, saladas, estufados e salteados… são umas ervinhas muito versáteis!

IMG_3591

  •  3 chávenas (cerca de 400g) de grão cozido e escorrido
  • 3 chávenas (cerca de 75g) de beldroegas  (folhas e caule tenros)
  • 200 de tomates maduros (do tipos que preferirem)
  • 1/2 chávena de sementes de abóbora
  • 2 pêssegos (podem ser substituídos por outra fruta.
  • Folhas de manjericão q.b.

 

para o vinagrete

  • 1 punhado de folhas de manjericão (ou hortelã)
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 1/2 limão (só o sumo)
  • 1 pitada de flor de sal

IMG_3655

 

  1. Escolha e lave bem as beldoregas.
  2. Lave os pêssegos e os tomates e corte-os em pedaços
  3. Numa saladeira ou taça grande, junte o grão, os pêssegos, as beldroegas e as sementes de abóbora e o manjericão.
  4. Regue com o vinagrete e mexa delicadamente

Vinagrete

  1. Com uma tesoura, corte as folhas de manjericão em tiras bem fininhas.
  2. Junte todos os ingredientes num frasco, coloque a tampa e agite bem!

IMG_3650

IMG_3658

IMG_3663

 

salada de bulgur

Comer e beber é bom. Comer e beber ao ar livre é o melhor que há nesta vida! É por isso que gosto tanto de piquenicar. Estender uma toalha num sítio fresco e comer e beber sem pressa nem hora de acabar… É bom demais!!

O problema dos piqueniques é a logística da preparação e do transporte (além de eventuais formigas e abelhas abelhudas). Tenho gravada na memória a imagem da minha mãe a fazer batatas albardadas para os passeios da escola. Aquilo parecia uma empreitada sem fim… Acho que deve ser por isso que ela nem pode ouvir falar em piqueniques!

O piquenique é suposto ser um momento relaxante por isso convém que a sua preparação também não cause grande stress – a mim já causou algumas vezes! Por isso fui aprendendo a simplificar e a planear as coisas de maneira a que tudo corra sem nervos!

Esta salada de bulgur é resultado disso mesmo. Não exige praticamente preparação nenhuma, só cozer o bulgur e misturar os temperos, porque é preparada na hora. É facilmente transportável e também não precisa de faca e garfo para se comer.

IMG_3723

  • 1 chávena de bulgur (rende 2 depois de cozido)*
  • 1 tomate grande
  • 1 abacate
  • 8 ou 9 cogumelos brancos, frescos

* Pode substituir por quinoa ou cuscus.

para o vinagrete

  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 1/2 limão (só sumo)
  • 1/2 mão cheia de folhas de manjericão
  • 1/2 colher de chá de flor de sal

IMG_3737

Com antecedência:

  1. Lave e coza o bulgur, num tacho com duas chávenas de água a ferver, durante 7 minutos (ou conforme as instruções da embalagem).
  2. Deixe a arrefecer e reserve no frigorífico.

Antes de sair de casa:

  1. Lave o tomate, os cogumelos e o abacate e coloque-os num tupperware para transporte.
  2. Prepare o vinagrete, misturando todos os ingredientes no frasco. Guarde no frigorífico.
  3. Transfira o bulgur para um termo ou um tupperware com tampa suficientemente grande para misturar todos os ingredientes.

Na hora de servir:

  1. Corte o tomate em pedaços.
  2. Corte os cogumelos em lâminas finas.
  3. Em último lugar, para não ficar a oxidar, descasque e corte em pedaços o abacate.
  4. Tempere com o vinagrete, mexa e sirva de imediato!

IMG_3736

risoto de espargos e tomate seco

Prometo que esta é a última receita de espargos este ano. Até porque entretanto a minha cozinha já se encheu de favas, ervilhas, couve-flor, espinafres… Parece a secção de legumes do supermercado!

Gosto muito de tomates secos e acho-os um ingrediente muito interessante e prático. Não têm a acidez e a frescura dos tomates frescos e por isso para mim são assim uma espécie de tomates de inverno. Infelizmente nem sempre os encontro e não são propriamente baratos. Este ano, quando chegar a altura vou tentar seca-los em casa no forno – ao sol já é pedir de mais! (mas também digo isto há anos, por isso não se fiem muito…)

Os que usei nesta receita são de compra e de pacote, completamente desidratados. Mas também podem usar dos que vêm em frasco, conservados em óleo ou azeite.

O risoto de espargos é daquelas coisas que eu adoro mas normalmente faço ou só com espargos ou juntado cogumelos. Nunca tinha experimentado esta combinação com tomate seco. Gostei bastante porque são sabores que contrastam e se equilibram.

IMG_2283

  • 200g de espargos
  • 7 tomates secos
  • 1 cebola pequena picada
  • 270g de arroz para risoto
  • 1 litro de água
  • 1 cubo de caldo de legumes
  • 1 c. de chá de levedura de cerveja (opcional)
  • 1 c. de sopa de margarina vegan
  • 1 fio de azeite
  • sal q.b.IMG_2300
  1. Comece por picar finamente a cebola e cortar os tomates em pedaços pequenos e os espargos em pedaços de cerca de 2 cm (corte as pontas mais duras e reserve-as.
  2. Aqueça um litro de água temperada com uma pitadinha de sal e ferva os espargos durante três minutos. Retire-os da água, passe imediatamente por água fria e reserve. Coloque os floretes de parte
  3. Da água onde cozeu os espargos, junte um cubo de caldo de legumes e as pontas duras dos espargos que tinha reservado, mantenha em lume muito brando.
  4. Aqueça um fio de azeite e junte a cebola e os tomates. Deixe cozinhar em lume brando, só até a cebola ficar transparente.
  5. Junte o arroz e envolva bem no azeite.
  6. Vá juntado conchas da água e deixe evaporar até acrescentar mais, mexendo frequentemente.
  7. Quando só tiver cerca de duas conchas de água, junte os espargos (sem os floretes) reservados. Envolva bem e termine a cozedura do arroz.
  8. Antes de servir, junte uma noz de margarina e a levedura de cerveja.
  9. Coloque os floretes dos espargos por cima do arroz, já no prato.

espargos

IMG_2294