bruschetta de favas e morangos

Se o mundo se dividisse entre os que amam e os que odeiam favas, eu cá estaria logo na linha da frente dos primeiros! Gosto mesmo muito e faço muitas receitas diferentes com elas, mas este ano andei a investigar e ainda tenho muitas mais para experimentar. O esparregado de vagens, por exemplo, já vai ficar para o ano que vem (mas já fiz umas doses de esparregado com as primeiras favas, que são as mais macias e tenras).

Quando estão mais rijas e com o olho preto, a melhor maneira de as aproveitar é mesmo tirando-lhes a pele. Geralmente faço isso para as congelar e ir juntado a sopas ou purés. fazer esta pasta é também uma receita excelente para as usar, mesmo as congeladas. Fica delicioso, com um sabor suave e amentolado, capaz até de conquistar mais adeptos da fava!

Só por si, esta pasta de favas já merecia um post. Mas esta combinação com morangos, tão improvável como deliciosa, é outro nível! Não se consegue parar de comer! O que é bom já que, além de ricas em fibras, ácido fólico, aminoácidos e vitaminas B, têm poucas calorias!

IMG_2748

Para a pasta de favas:

  • Duas chávenas de favas (quantidade já sem a pele)
  • Sumo de meio limão
  • Umas folhinhas de hortelã
  • 3 c. de sopa de azeite
  • Sal e pimenta q.b.

Para as bruschettas:

  • Fatias de pão
  • Morangos
  • 1 dente de alho
  • Azeite
  • Vinagre de sidra, balsâmico ou de framboesa (experimentei com todos e não consegui escolher um)
  • Flor de sal

alho azeite

  1. Retire as peles das favas e coza-as em água a ferver, cerca de 3 minutos. Escorra, passe por água bem fria e reserve.
  2. Num processador, junte todos os ingredientes do patê e triture até ficar em pasta.
  3. Rectifique os temperos.

pasta1

Montagem das bruschettas:

  1. Torre as fatias de pão.
  2. Esfregue-as com um dente de alho partido ao meio e depois barra-as com um fio de azeite.
  3. Espalhe generosamente a pasta de favas.
  4. Corte morangos em fatias bem fininhas e disponha-as por cima das torradas.
  5. Rege com uns pingos de vinagre e salpique com umas pedrinhas de flor de sal.

FullSizeRender-3

Bolo com recheio de morangos

Há anos que não compro morango. Espero pacientemente que os da minha mãe fiquem maduros. Por isso me sabem especialmente bem e, de certeza, também fazem melhor. Apesar de adorar morangos, não me custa a espera, porque sei que vão chegar para comer assim, para congelar, para fazer sobremesas e, às vezes até para fazer doce.
A versão tradicional deste bolo (ovo-lacto), já há muito que aparece na minha cozinha uma vez por ano. No ano passado, já andava a deixar o leite e os derivados e por isso tinha decidido que no ano seguinte o iria fazer com natas vegetais. Afinal este ano, o pão-de-ló também já não tem ovos! Em vez das natas vegetais preferi experimentar com o leite de coco, usando esta técnica fantástica para fazer “natas”, usando a parte
Claro que este bolo não é tão fofo como o pão-de-ló tradicional, e estas “natas” que me lembrei de usar aqui (e tão bem que combinam!), também não rendem tanto. Por isso, para não ficar seco, é importante deixar os morangos algumas horas com o açúcar, para o molho com que iremos regar o interior do bolo. Eu gosto de usar os morangos em pedaços no recheio, mas na verdade fica mais perfeitinho se os passar com uma varinha mágica para fazer um creme que irá rechear e colar as duas metades do bolo.
Este bolo tem de ser pensado com alguma antecedência, uma vez que a lata de coco tem de ser refrigerada pelo menos 8 horas (se for mais, melhor) e os morangos também devem ficar algumas horas a fazer o molho. A taça onde vai bater o coco, também deve ser refrigerada uma meia hora, para estar bem fria.

IMG_1825

• 350g de morangos
• 2 colheres de sopa de açúcar de coco (ou outro)
• 4 colheres de sopa de água
• 1 lata de leite de coco (não pode ser light) refrigerada, pelo menos 8 horas.
• 2 ou 3 colheres de chá de açúcar em pó (preferencialmente)
• 1/2 vagem de baunilha (opcional)

Para o bolo:

• 300g farinha
80g fécula de batata
• 300g (cerca de 300ml) de leite de soja
• 85 g de óleo de girassol
• 2 c. de chá de fermento
220 g açúcar
Óleo e farinha para untar a forma

 IMG_1715

1. Lave e arranje os morangos, corando-os em pedaços pequenos.
2. Junte 2 c. de sopa da de açúcar e as 4 c. de sopa de água e leve ao frigorífico umas horas (pode ser de um dia ou uma noite, por exemplo).

Entretanto prepare o bolo:
3. Misture farinha, a fécula e o açúcar numa taça grande.
4. Continuando sempre a bater, junte o leite se soja, depois o fermento e por fim o óleo.
5. Deixe repousar cerca de dez minutos.
(Na bimby: Reduza o açúcar a pó : 30s, vel. 9. Junte todos os ingredientes e bata 40s, vel. 4 a 5).
6. Pincele a forma com um pouco de óleo e polvilhe com farinha.
7. Leve o bolo ao forno pré-aquecido a 180º, por cerca de 45 minutos.
8. Deixe arrefecer, de preferência numa grelha.

    FotorCreated

9. Depois de frio, retire o bolo para o prato de servir, corte-o horizontalmente, com uma faca ou um cortador próprio, e separe cuidadosamente as duas partes.
10. Com o suco que se formou dos morangos, regue as duas partes cortadas. Seja especialmente generoso com a parte de cima.
11. Reserve uma parte dos morangos (escorridos) para decorar o bolo e distribua a restante na metade de baixo do bolo. Pode usar os morangos em pedaços ou reduzi-los a puré com uma varinha mágica.
12. Coloque a parte de cima do bolo.

IMG_1780IMG_1786

13. Retire a lata de coco do frigorífico e se, a agitar, abra-a cuidadosamente.
14. Na parte de cima da lata está formada uma camada espessa. Retire-a cuidadosamente com uma colher, deixando a parte mais líquida (pode usar este líquido noutra receita).
15. Coloque o creme espesso numa taça bem fria, junte o açúcar e as sementes da vagem de baunilha e bata com a batedeira, até fazer um creme tipo chantilly.

16. Cubra o bolo com este creme e decore com os morangos reservados. Leve ao frigorífico e sirva bem frio.

IMG_1809

crumble de ruibarbo e morango

O crumble é daquelas sobremesas a que recorro muitas vezes quando é preciso um doce rápido e com ingredientes que tenha à mão. Às vezes também faço só para salvar algumas pêras ou maçãs farinhentas, que não gosto nada de comer…

Mas este crumble é especial. É igualmente fácil e rápido, mas o ruibarbo e os morangos fazem dele uma sobremesa bem especial. Tem uma cor linda, linda e é uma delícia! Pena que o ruibarbo seja tão difícil de encontrar, sobretudo para quem vive longe das grandes cidades – em Lisboa é mais fácil, seus alfacinhas sortudos!. Este comprei num mercado em Amesterdão (até uma abóbora veio na mala!). Aproveitei e comprei também para semear e para plantar. Pode ser que corra bem… De qualquer modo, se não tiver, fica bom só com morangos ou com uma mistura de frutos vermelhos, mesmo congelados.

IMG_1585 IMG_1600

  • 2 talos de ruibarbo
  • 300g de morangos
  • 2 colheres de sopa de xarope de ácer (ou outro adoçante). Se os morangos forem bem docinhos, pode por menos
  • 1/4 de chávena de açúcar (usei de coco)
  • 1 chávena (bem cheia) de flocos de aveia
  • 1 chávena de farinha (de trigo, espelta ou aveia)
  • 2 ou 3 colheres de sopa de óleo de coco

FullSizeRender

  1. Corte o ruibarbo em rodelas.
  2. Corte os morangos em pedaços grosseiros.
  3. Junte o ruibarbo e os morangos numa tarteira ou numa assadeira pequena.
  4. Regue com o xarope e misture bem
  5. Numa tigela, junte a farinha, os flocos de aveia, o açúcar e o óleo de coco. Se o óleo de coco estiver muito frio, aqueça-o ligeira-me para derreter e ser mais fácil misturar.
  6. Cubra a mistura do ruibarbo e morangos com este granulado, espalhando o melhor que conseguir.
  7. Leve ao forno pré-aquecdio a 180º, durante cerca de 30, ou até que esteja dourado.
  8. Sirva bem fresquinho frio.

Nota: Pode também juntar 1/4 de chávena de amêndoa granulada ou laminada à mistura de aveia e farinha, para uma textura bem crocante!

IMG_40981