mousse de aveia com psyllium husk

Esta mousse aconteceu por acaso, a partir de um batido que levou menos água do que devia. Há 5 anos a minha tia passou-me uma receita de um batido que viu no programa do dr Oz para eu beber sobretudo enquanto recuperava de uma cirurgia que fiz na altura. A verdade é que esse ficou, durante os anos seguintes o meu pequeno-almoço mais habitual.

A receita era simples: banana, mirtilos, maca, sementes de linhaça e leite de amêndoa. O leite de amêndoa substitui desde o início por água mais um punhado de frutos secos. O resto fui fazendo assim durante muito tempo. Mais tarde comecei a fazer algumas variações, sobretudo no tipo de fruta, acrescentando aveia e, numa altura em que não tinha maca, experimentei substituir por pó de se cascas de sementes de psílio (psyllium husk), que tinha comprado para uma receita de pão sem glúten. Psyllium husk são as cascas das sementes do psílio (plantago pvata), uma planta nativa da Índia e do Paquistão. As cascas destas sementes são higroscópicas, o que lhes permite expandirem e tornar-se mucilaginosas. Quer isto dizer, ao ser hidratado, este pó vai formar uma goma espessa. É por isso que é muitas vezes usado nas receitas de massas sem glúten, já que ajuda a dar a liga que normalmente se obtém com o glúten. Nesta mousse de aveia, vai também dar-lhe uma consistência cremosa e alguma firmeza.

Além destas propriedades físicas, que o tornam um ingrediente prático em alguns casos (como no caso desta mousse de banana), o psyllium husk é uma poderosa fonte de fibras solúveis, que atuam como laxante natural e ajudam a manter a saúde dos intestinos. É também um bom amigo para quem quer perder peso, já que aumenta a sensação de saciedade e ajuda a reduzir o apetite, sem qualquer efeito colateral, ao contrário da maioria dos suplementos vendidos para este efeito.

Se ainda não conhecia o psyllium husk, aproveite esta receita para experimentar! Depois de perceber o “comportamento”, é fácil usa-lo em várias receitas.

IMG_6779

  • 2 c. de sopa de flocos de aveia
  • 1 banana pequena
  • 1 c. de sopa de linhaça
  • 1/2 de sopa de psyllium husk
  • 5 nozes de macadâmia
  • 15 mirtilos (usei desidratados)
  • 1 copo de água

IMG_6768

  1. Colocar todos os ingredientes, excepto a banana, no copo do liquidificador e deixei repousar uns 5 minutos.
  2. Juntar a banana e triturar até obter uma pasta homogénea.

Nota: Experimente variar os ingredientes e sirva com toppings a seu gosto, como coco ralado, sementes ou fruta fresca.

IMG_6774

IMG_6783

 

 

papas de aveia com cacau e framboesas

Papas de aveia com cacau são o meu mais recente vício. Os pequenos-almoços deste inverno foram variando entre sopa (sopa, sopa, não é nenhuma sopa especial de pequeno-almoço) papas de aveia e panquecas ao fim-de-semana. Mas desde que descobri estas papas de aveia com cacau e, sobretudo, desde que experimentei fazê-las na bimby, este tem sido o preferido. Nunca tinha feito papas de aveia na bimby porque achava que não compensava estar a sujar o copo… até porque, tenho um mini tachinho/tijela que comprei especificamente para as papas (e também uso para a sopa), do tamanho ideal para uma dose. Mas a verdade é que não dá para resistir! As papas na bimby (e nas suas primas, claro) ficam tão, mas tão boas cremosas, que valem todo o esforço de rapar o copo com um salazar para conseguir tirar a papa que fica no fundo, e de o lavar todas as manhãs. Como é obvio, esta receita pode perfeitamente ser feita no fogão, mas se tiverem uma maquineta, não deixem de experimentar!
A primeira vez que juntei framboesas às papas com cacau não estava muito certa de que fosse gostar. Não pela combinação de sabores, que essa já sabemos que resulta sempre. O meu receio era de não gostar das framboesas quentes. Mas ainda bem que arrisquei! Ficam ma-ra-vi-lho-sas! Claro que, se não tiverem ou não quiserem juntar as framboesas, podem-se ficar só pelo cacau e garanto-vos que já terão um pequeno-almoço bem guloso!

Eu costumo misturar leite vegetal e água porque me parece que ficam mais equilibradas em termos de sabor e de consistência, mas podem usar só leite ou mesmo só água, dependendo do vosso gosto. Só com leite, ficam mais densas e só com água ficam mais… aguadas! 😀

FullSizeRender(1).jpg

  • 1 tâmara (sem caroço)
  • 5 colheres de sopa de flocos aveia (50g)
  • 200 ml de leite vegetal (170g) (costumo usar leite de arroz)
  • 50 ml de água (50g)
  • 1 colher de sopa de cacau em pó
  • 1 punhado de framboesas (frescas ou congeladas)
  • coco ralado q.b.

IMG_5916(1)

  1.  Comece por picar a tâmara em pedaços bem pequeninos (bimby, 10 segundos, vel. 6)
  2. Num tacho (ou no copo da bimby) junte a tâmara picada, o leite, a água, o cacau e os flocos de aveia.
  3. leve ao lume muito brando e deixe cozinhar, mexendo frequentemente até as papas ficarem cremosas (bimby, 90º 8 minutos, vel.1, Inverso)
  4. Finalmente junte as framboesas. Reserve algumas para servir cruas. leve novamente ao lume brando,  mexendo sempre durante 1 minutos ou até as framboesas amolecerem (bimby, 1 minuto,  90º, vel. 1, Inverso).
  5. Sirva as papas bem quentinhas, polvilhadas com o coco ralado e com as framboesas reservadas.

Almôndegas de Aveia e Cogumelos

Retirada do livro Cozinha Vegetariana Para Quem Quer Poupar de Gabriela
Oliveira, esta receita traz para o almoço um cereal que já é um habitué no pequeno-almoço de muitos: a aveia – consumida geralmente na forma de papas, feitas com leite ou água, cruas ou cozidas, adoçadas ou com fruta.

As almôndegas são uma forma diferente de aproveitarmos os incríveis benefícios da aveia, cereal muito rico em fibra. Gosto sobretudo desta receita porque usa ingredientes que quase sempre tenho em casa e não demora muito a fazer. Coloco a aveia a demolhar enquanto preparo o resto e quando chega a hora a juntar tudo , já passaram os 20 minutos.

Transcrevo aqui a receita tal e qual como vem no livro (excepto a parte do molho),  porque é exactamente assim que a faço.

  • 2 Chávenas de flocos de aveia (finos)
  • 2 chávenas de água 
  • 1 Caldo de legumes biológico
  • 1 Cebola grande
  • 3 Dentes de alho
  • 100g de cogumelos frescos
  • Azeite, sal marinho, tomilho e pimenta preta, q.b.
  • 2 Colheres de sopa de coentros picados
  • Farinha de grão (ou pão ralado ou amêndoa ralada) para envolver

IMG_1783

  1. Demolhe a aveia em duas chávenas de água a ferver com o caldo de legumes dissolvido, por cerca de 20 minutos, até absorver completamente a água. 
  2. Pique a cebola, o alho e os cogumelos finamente.
  3. Aqueça uma frigideira com um fio de azeite e salteie o alho e a cebola até estar transparente e começar a dourar. Junte os cogumelos picados e salteie até murcharem; adicione a aveia demolhada e os coentros. Tempere com sal (se necessário), tomilho e pimenta preta. Envolva bem, deixe cozinhar em lume brando durante 5 minutos e apague o lume.
  4. Deixe arrefecer um pouco, molde as almôndegas e passe-as por farinha de grão.
  5. Leve ao lume a frigideira com um fio de azeite e salteie as almôndegas para dourarem.

IMG_1782

Sirva com molho de tomate ou outro à sua escolha (o livro tem várias sugestões).

Rende cerca de 18 almôndegas.

Nota: A farinha de grão não é muito fácil de encontrar mesmo em lojas tipo “celeiro”. Eu faço a minha moendo o grão na bimby.

IMG_1768