salada de bulgur

Comer e beber é bom. Comer e beber ao ar livre é o melhor que há nesta vida! É por isso que gosto tanto de piquenicar. Estender uma toalha num sítio fresco e comer e beber sem pressa nem hora de acabar… É bom demais!!

O problema dos piqueniques é a logística da preparação e do transporte (além de eventuais formigas e abelhas abelhudas). Tenho gravada na memória a imagem da minha mãe a fazer batatas albardadas para os passeios da escola. Aquilo parecia uma empreitada sem fim… Acho que deve ser por isso que ela nem pode ouvir falar em piqueniques!

O piquenique é suposto ser um momento relaxante por isso convém que a sua preparação também não cause grande stress – a mim já causou algumas vezes! Por isso fui aprendendo a simplificar e a planear as coisas de maneira a que tudo corra sem nervos!

Esta salada de bulgur é resultado disso mesmo. Não exige praticamente preparação nenhuma, só cozer o bulgur e misturar os temperos, porque é preparada na hora. É facilmente transportável e também não precisa de faca e garfo para se comer.

IMG_3723

  • 1 chávena de bulgur (rende 2 depois de cozido)*
  • 1 tomate grande
  • 1 abacate
  • 8 ou 9 cogumelos brancos, frescos

* Pode substituir por quinoa ou cuscus.

para o vinagrete

  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 1/2 limão (só sumo)
  • 1/2 mão cheia de folhas de manjericão
  • 1/2 colher de chá de flor de sal

IMG_3737

Com antecedência:

  1. Lave e coza o bulgur, num tacho com duas chávenas de água a ferver, durante 7 minutos (ou conforme as instruções da embalagem).
  2. Deixe a arrefecer e reserve no frigorífico.

Antes de sair de casa:

  1. Lave o tomate, os cogumelos e o abacate e coloque-os num tupperware para transporte.
  2. Prepare o vinagrete, misturando todos os ingredientes no frasco. Guarde no frigorífico.
  3. Transfira o bulgur para um termo ou um tupperware com tampa suficientemente grande para misturar todos os ingredientes.

Na hora de servir:

  1. Corte o tomate em pedaços.
  2. Corte os cogumelos em lâminas finas.
  3. Em último lugar, para não ficar a oxidar, descasque e corte em pedaços o abacate.
  4. Tempere com o vinagrete, mexa e sirva de imediato!

IMG_3736

guacamole

Apesar de ser uma comilona nata sempre fui, na mesma proporção, uma esquisita de primeira. Habituei-me sempre a não poder comer praticamente nada em algumas situações (já estou habituada a isto desde pequenina) ou, quando tinha de ser, a engolir sem mastigar… Ao longo dos anos fui aprendendo a gostar de muitas coisas que agora acho deliciosas, como o tomate cru, mas a minha lista continuava enorme. Felizmente a grande maioria das coisas que nunca aprendi a gostar eram carnes e derivados e já nem os tenho na minha lista “não gosto” porque passaram para a “não como”. Só há uma coisa que eu continuo mesmo a não gostar: cebola crua. Não suporto mesmo. A minha comida não pode sequer ter estado em contacto com cebola crua. Isto, como podem imaginar, dificulta-me bastante a vida no reino das saladas…

Por causa desta esquisitice também não como guacamole fora de casa. A cebola crua faz parte de todas a receitas, menos da minha! Imagino que seja um elemento importante do guacamole, por isso, a não ser que sejam iguais a mim, é melhor acrescentarem meia cebolinha bem picadinha.

IMG_1031

  • 2 abacates pequenos (ou 1 grande)
  • 1 tomate médio
  • 1 dente de alho
  • 1lima (sumo)
  • 1 raminho pequeno de coentros
  • 1 pitada de flor de sal
  • Molho piri-piri ou tabasco q.b.

IMG_1033

  1. Descasque os abacates e regue-os imediatamente com com o sumo de lima para não oxidarem.
  2. Parta os abacates em pedaços e esmague-os com um garfo.
  3. Parta o tomate em pedaços pequenos.
  4. Pique os coentros.
  5. Rale o dente de alho.
  6. Misture todos os ingredientes.
  7. Rectifique os temperos.
  8. Sirva com chips de milho e acompanhe com uma cerveja gelada!

IMG_1034IMG_1032

Mousse de Abacate e Cacau

Eu sei que a esta altura, não há blog de receitas que se preze que ainda não tenha partilhado uma mousse de abacate e cacau. Já venho um bocado atrasada… Mas esta manhã estive a fazer manteiga de avelã e já que tinha a bimba suja, aproveitei para fazer um docinho para mais logo. Agora que partilho esta receita já posso dizer que tenho um blog de receitas que se preza.
Há inúmeras versões deste tipo de mousse. A base em todas é o abacate – é importante que esteja maduro. O resto dos ingredientes vai variando. Há com cacau em pó ou com chocolate derretido, com ou sem banana, com ou sem leite, com ou sem óleo de coco… Os adoçantes também podem ser gosto: ácer, stevia, agave, tâmaras…
Depois de provarem qualquer uma destas versões, todas elas bem saudáveis (os benefícios do abacate são já bem conhecidos), não vejo razão para se voltarem à tradicional! Além de tudo, o que para mim é uma grande vantagem, resultam numa quantidade perfeita para uma sobremesa para duas pessoas. E temos uma deliciosa e saudável sobremesa vegan, quase instantânea!
Pode servir esta mousse simples ou com granola ou frutos secos para uma textura crocante!

IMG_0923

  • 1 Abacate maduro
  • 1 Banana madura
  • 4 Tâmaras medjool
  • 2 C. de sopa de cacau puro
  • 1 C. de sopa de manteiga de avelã (opcional)

IMG_0920

  1. Comece por demolhar as tâmaras, sobretudo se estiverem um pouco secas, durante uns dez minutos ou mais.
  2. Num processador, coloque as tâmaras e desfaça-as, durante uns segundos.
  3. Junte os restantes ingredientes e processe até estar bem cremoso e homogéneo.

Pode comer logo em seguida, mas fica melhor se levar umas horas ao frigorífico.

IMG_0919

Pesto de abacate

Em miúda ouvia os meus tios falarem dessa maravilha que comiam em África: o abacate. Por cá não era comum encontrá-lo. Mais tarde, quando começou a marcar presença nos nossos supermercados, resolvi experimentar. Como não sabia o que fazer com ele, comi-o como qualquer outro fruto e, para dizer a verdade, fiquei sem perceber de onde vinha tanto alarido… E esqueci o abacate durante anos, até há pouco tempo. Agora tenho é pena de não lhe ter dado uma segunda oportunidade antes… É realmente uma maravilha! Super versátil, podemos usa-lo em pratos doces e salgados, molhos e saladas…

Além disso, é uma boa fonte de cálcio, potássio, vitaminas, fibras e gorduras monoinsaturadas, que ajudam no combate à diabetes e no controlo do colesterol LDL no sangue (o mau colesterol).

Esta receita fica pronta em poucos minutos e acompanha muito bem com massas finas (esparguete, linguini…) ou com pão torrado, como entrada ou petisco.

Desta vez foi servido com esparguete.

  •   1 ou 2 dentes de alho
  • sumo de meio limão
  • duas colheres de sopa de azeite
  • um abacate maduro
  • uma mão cheia de folhas de manjericão
  • uma pitada de flor de sal (ou sal grosso)

IMG_1455

Se for servir com massa, ponha-a a cozer enquanto prepara o pesto.

  1. Coloque o alho, o sumo de limão e o azeite num processador (ou no copo da varinha). Triture alguns segundos, para desfazer o alho (bimby 5s, vel. 7)
  2. Acrescente o abacate descascado, o manjericão e o sal.
  3. Triture até ficar uma pasta (bimby 60s, vel 7) – interrompa a meio para retificar os temperos e raspar o que fica nas paredes do copo.
  4. Está pronto a servir. Misture com a massa da sua preferência ou barre fatias de pão.

2015/01/img_1453.jpg