Canja de Cogumelos e Millet

Toda a gente sabe que canja é sopa de doentes e, curiosamente, de dias de festa! Ora, acho que esta época natalícia é uma boa altura para partilhar convosco esta receita de canja muito especial, que, ao contrário da tradicional, só tem coisas que nos fazem bem.

Podem servi-la no Natal ou na passagem de ano, sobretudo se tiverem crianças em casa! Guardem para comer no dia seguinte também, vão ver que vos vai fazer bem.

A canja de cogumelos pleurotus já não é novidade. Basicamente, a ideia é substituir o frango pelos cogumelos. A textura é muito idêntica e, por incrível que possa parecer, o sabor também. Esta receita que trago hoje, tem ainda a vantagem de substituir as massinhas (que eu adoro, mas que são geralmente refinadas e de fraca qualidade nutricional), por um cereal muito mais interessante: o millet.

O millet, ou milho-painço, é um cereal alcalino, super proteico, rico em fibra e minerais e não tem glúten. Além disso, é ótimo para problemas digestivos. Vale muito a pena inclui-lo na lista de residentes habituais da despensa.

  • 1 cebola média
  • 130g de cogumelos pleurotus
  • 2 chávenas de café de millet
  • 2 cenouras pequenas (ou 1 grande)
  • 1,5 l de água
  • 1 fio de azeite
  • 1 pitada de sal marinho
  • folhas de hortelã para servir (opcional)
  1. Corte a cebola em juliana e as cenouras em rodelas ou meias luas.
  2. Corte os cogumelos em pedaços grandes, ou desfie-os com a mão.
  3. Numa panela, leve ao lume a cebola as cenouras e os cogumelos com um fio de azeite e deixe corar.
  4. Entretanto, num coador de rede ou numa taça média, lave muito bem e escorra o millet.
  5. Junte o millet na panela e, mexendo bem, deixe-o tostar uns dois minutos.
  6. Junte a água, tempere com o sal e, depois de levantar fervura, deixe cozinhar 15 minutos.
  7. Sirva a canja com uma folha de hortelã em cada prato.

IMG_2409

IMG_2408

 

 

 

Sopa de Rama de Cenoura

Uma das vantagens de ter horta é ter acesso a produtos que dificilmente se encontram nos supermercados. A rama das cenouras, por exemplo, dificilmente se encontra à venda, excepto em alguns mercados biológicos. Mesmo quem tem hortas, quase sempre despreza a rama que, na verdade, é até mais nutritiva do que o próprio tubérculo. É extremamente rica em vitamina C, ferro, proteínas, minerais, cálcio, magnésio, zinco e betacaroteno.

Em tempos de movimento “desperdício zero”, é altura de repensarmos um pouco a forma como seleccionamos o que é ou não para aproveitar. Não faz sentido que um produto perfeitamente comestível, saboroso e altamente nutritivo seja deitado fora só por uma questão de hábito. Eu fiquei muito contente quando descobri que se pode aproveitar a rama e as folhas de quase tudo e gosto de espalhar esta palavra.

A rama da cenoura pode ser aproveitada para imensas receitas (já tinha partilhado estas pataniscas).  Podem também experimentar esparregado, arroz, batidos e até chá! Desta vez fiz uma sopa, normalíssima e coloquei a rama no final, depois de fazer o creme.

Se tiverem cenouras caseiras ou conseguirem ter acesso à sua rama, por favor, não deixem de a aproveitar!

IMG_8248

  • 1 cebola
  • 2 nabos pequenos
  • 1/2 couve-flor
  • 3 cenouras grandes
  • 2 chávenas de rama de cenoura (medidas depois de picadas)
  • água q.b.
  • 1 pitada de sal
  • azeite q.b.

IMG_8253

 

IMG_8255

  1. Descasque e parta a cebola, as cenouras e os nabos e coloque na panela.
  2. Parta a couve flor, aproveitando o talo e as folhas, se as tiver. Coloque na panela, por cima dos outros legumes.
  3. Cubra com água até dois dedos abaixo do nível dos legumes (se necessário, acrescente mais no final)
  4. Leve ao lume, por 20 minutos (bimby, 20 minutos, 100º vel 1)
  5. Entretanto lave muito bem e pique a rama de cenoura.
  6. Triture tudo, reduzindo a puré, com a varinha mágica (bimby, 1 minuto, vel 7 + 20 segundos vel 10).
  7. Tempere com sal e acrescente a rama de cenoura.
  8. Leve ao lume mais 5 minutos (bimby, 5 minutos, 100º, vel 1, inv.)
  9. No final regue com um bom fio de azeite.
  10. IMG_8257

img_8267.jpg

Creme de espargos com ervilhas de vagem

As primeiras ervilhas de vagem do ano vieram parar a este creme de espargos por uma questão de conveniência. Era o que havia à mão para fazer uma sopa rápida para o jantar, antes que viesse uma daquelas vontades de me empanturrar de massas ou batatas à noite.
Tento que o meu jantar seja normalmente uma sopa, até porque janto bastante tarde. Mas confesso que a maioria das vezes fico um bocadinho desconsolada. Andei a pensar porque seria, uma vez que adoro sopa, sobretudo as da minha mãe, acho super reconfortante e não fico propriamente com fome. Cheguei à conclusão que o problema é o jantar acabar tão depressa. Fazem falta o ritual e o tempo dedicado a isso. Conclui também que isso acontece sobretudo quando já tenho sopa feita. Se tiver de a fazer, e principalmente se fizer uma sopa mais fora do comum, a experimentar novas combinações, deixo de sentir esse desconsolo!
Esta sopa, além de reconfortante, sabe mesmo a primavera! Claro que não é coisa para se fazer a toda a hora, que os espargos são demasiado caros para isso. Mas, vou começar a fazê-la pelo menos uma vez por ano, no tempo das ervilhas!

IMG_1179

  • 1 molho de espargos verdes (cerca de 330g)
  • • 1 batata média
  • • 1 alho-francês pequeno (ou ½ se for grande)
  • • 2 mãos cheias de de ervilhas de vagem
  • • 800 ml de água a ferver
  • • 1 fio de azeite
  • • 1 pitada de sal

IMG_1184

  1. Corte o alho francês em rodelas e, numa pequena panela, leve-o ao lume num fio de azeite até amolecer. (bimby, 4’, 100º, vel. 1,).
  2. Prepare os espargos, dispensado a parte do fundo mais dura da base. Corte em pedaços e reserve os topos.
    3. Descasque e corte a batata em pedaços.
  3.  Junte os espargos e a batata na panela, junte a água, tempere com sal e deixe cozinhar durante 15 minutos. (bimby, 15´, 100º, vel 4).
  4. Entretanto prepare as ervilhas: corte-lhes as pontas e e puxe os filamentos e corte-as em pedaços de cerca de dois centímetros .
  5. Passe tudo com a varinha mágica, ou no liquidificador, até ficar um creme homogéneo (bimby, 1´, vel- 7-10).
  6.  Junte as ervilhas e as pontas dos espargos reservadas ao creme e deixe cozer 4 minutos (bimby, 4´, vel 2, inv).

IMG_1180

Creme de abóbora-manteiga e lentilhas vermelhas

Há umas semanas, uma amiga enviou-me uma lista de receitas de sopas vegan cremosas. Adoro sopas assim, tipo papa de bebé! Fiquei logo com vontade de fazer a que combinava abóbora manteiga e lentilhas vermelhas, não só porque me pareceu uma autentica comfort food, mas também porque tinha uma abóbora-manteiga na despensa, quase a ficar esquecida. Entretanto, numa rápida olhadela na internet, percebi que esta combinação é praticamente um clássico… Eu devia andar a dormir!
Ontem quando a ia fazer, não quis seguir nenhuma receita e apeteceu-me inventar um bocado. Como a abóbora-manteiga é tipicamente usada assada, resolvi fazer o mesmo para a sopa e, já que tinha o forno ligado, juntei também a cebola. O resultado foi uma sopinha super-cremosa e saborosa!

IMG_2010

  • 300g de lentilhas vermelhas descascadas
  • 1 abóbora-manteiga
  • 1 cebola
  • 10 folhinhas pequenas de sálvia (menos se forem grandes, porque têm um sabor muito forte)
  • 1/2 malagueta (opcional)
  • 1 bom fio de azeite
  • sal q.b.
  • água q.b.
  • Sementes de abóbora ou de girassol para servir

IMG_2014

  1. Descasque a abóbora manteiga, retire as sementes e corte-a aos cubos.
  2. Descasque e corte também a cebola.
  3. Coloque a cebola e a abóbora num tabuleiro de forno, salpique com as folhas de sálvia, o sal e regue tudo com azeite. Junte também a malagueta (se usar) e mexa para envolver os legumes no tempero.
  4. Leve ao forno pré-aquecido a 150º e deixe assar durante meia hora.
  5. Entretanto, coza as lentilhas em água e sal, durante 20 minutos.
  6. Transfira os legumes assados e as lentilhas para uma panela (ou para o copo da bimby), junte um litro de água (deite alguma água no tabuleiro para tirar os resto do assado e aproveite-a para a sopa e use também a água de cozer as lentilhas) e deixe levantar fervura.
  7. Passe tudo com a varinha mágica (ou 1 minuto, vel. 10 na bimby).
  8. Rectifique os temperos e a consistência. Se preferir uma creme mais diluído, vá juntado água até estar ao seu gosto.
  9. Quando servir, salpique o prato com sementes a seu gosto.

IMG_2036

Creme de ervilhas

Não há desculpa para não fazer este creme de ervilhas, . Com bimby (ou outra do género) ou na panela, é mesmo muito, muito fácil. Fácil, rápida, simples, barata e além disso deliciosa! Um simples pacote de ervilhas congeladas transforma-se num creme aveludado e reconfortante num piscar de olhos.

ingredientes:

  • 500g de ervilhas congeladas
  • 1/2 (500g) litro de água
  • 1 cebola
  • 1 pitada de sal
  • 1 fio de azeite
  • sumo de limão (opcional)
  1. Colocar as ervilhas e a cebola partida ao meio numa panela (ou no copo da máquina) e cobrir com a água, colocar o com sal e levar a lume médio cerca de 25 minutos (bimby: 25m, 100º, vel 1).
  2. Temperar com um fio de azeite e triturar muito bem com a varinha ou na máquina (bimby: 1m, vel 7).

Tente verter o azeite ao mesmo tempo que tritura o creme, para fazer um efeito de emulsão (na bimby é mto simples fazer isto, basta colocar o a azeite na tampa antes de começar a triturar e ele vai caindo em fio).

  1. Servir e colocar umas gotinhas de limão em cada prato.

As quantidades são meramente indicativas mas é importante respeitar as proporções, para não ficar demasiado aguada. Se no final achar que está demasiado grossa, pode sempre acrescentar um pouco de água e voltar a bater mais uns segundos.

Sugestão:

Pode substituir o limão por natas vegetais ou umas folhinhas de hortelã picadas. Em alternativa, pode também acrescentar hortelã antes de triturar.

2015/01/img_1275.jpg