Tarteletes de framboesa

Vou já avisando não é uma sobremesa light! Mas… é muito saudável! Já aqui falei sobre os benefícios dos frutos secos, ricos em gordura monoinsaturada, vitaminas, minerais e proteínas. Estas tarteletes, embora lhes tenha chamado de framboesa, são feitas sobretudo de frutos secos, tanto na base como no recheio. Não têm açúcar adicionado, só o naturalmente presente nas frutas e na geleia de milho.

A minha ideia inicial era fazer um cheesecake mas como as quantidades que resultaram, tanto da base como do recheio, não eram suficientes para a minha forma, acabei por fazer estas tarteletes que os meus provadores oficiais adoraram!
A base é uma adaptação de uma receita que aprendi num workshop da Cozinha Verde. Alterei algumas coisas, mas a ideia é a mesma e é mesmo muito boa! O recheio não é muito doce porque a base já é docinha que chegue mas, quem for mais guloso, pode sempre acrescentar mais uma colher de geleia ou outro adoçante que prefira. Finalmente em relação às framboesas, eu adoro e como este ano tenho apanhado uma boa quantidade todos os dias, tinha de as aproveitar – não consigo perceber o preço absurdo a que são vendidas nos supermercados, porque as framboeseiras crescem e dão muitos frutos sem manutenção nenhuma, o único inconveniente é mesmo o serem tão frágeis ! As framboesas são umas bagas maravilhosas! São super saborosas e um poderoso antioxidante que ajuda a proteger as células. Além disso são ricas em vitamina C, por exemplo, que ajuda a absorção de ferro e por isso são também bons aliados dos vegetarianos. E apesar do seu sabor doce, são pouco calóricas (não que eu conte calorias, mas é bom saber ;-)! Se não tiver framboesas, use outro fruto vermelho de textura mole, como amoras ou groselhas ou morangos.

IMG_3426  IMG_3453

Para 5 tarteletes:

Para a base:

  • 1 chávena de frutos secos (usei avelãs e amêndoas)
  • 10 tâmaras, descaroçadas e demolhadas cerca de meia hora.
  • 1/4 de chávena de coco ralado
  • 1/4 de chávena de passas
  • 1 colher de chá de óleo de coco

Para o recheio:

  • 1 chávena de cajus, demolhados duas horas
  • 1 colher de sopa de geleia de milho (ou outro adoçante)
  • 1/2 chávena de framboesas

Para topping:

  • framboesas (as que tiver disponíveis)

IMG_3456 IMG_3455

  1. Num processador, junte as tâmaras partidas em pedaços e os frutos secos. Triture até ficarem desfeitos.
  2. Junte os restantes ingredientes e triture de novo até que fiquem bem ligados, mas de modo que não fique uma pasta demasiado homogénea
  3. Forre formas de tarte com papel vegetal (opcional, mas torna-se mais fácil desenforma-las)
  4. Coloque uma porção de massa e pressione com os dedos, de maneira a forrar toda a forma.
  5. Leve ao frigorífico e deixe repousar enquanto prepara o recheio.
  6. No processador coloque os cajus bem escorridos e a geleia de milho. Triture até formar um creme.
  7. Junte as framboesas e triture novamente até ficar homogéneo (a meio, misture com uma espátula).
  8. recheie, com a ajuda de uma colher, as tarteletes.
  9. Decore com as restantes framboesas e leve ao frigorífico pelo menos uma hora antes de servir.

IMG_3429IMG_3451

crumble de ruibarbo e morango

O crumble é daquelas sobremesas a que recorro muitas vezes quando é preciso um doce rápido e com ingredientes que tenha à mão. Às vezes também faço só para salvar algumas pêras ou maçãs farinhentas, que não gosto nada de comer…

Mas este crumble é especial. É igualmente fácil e rápido, mas o ruibarbo e os morangos fazem dele uma sobremesa bem especial. Tem uma cor linda, linda e é uma delícia! Pena que o ruibarbo seja tão difícil de encontrar, sobretudo para quem vive longe das grandes cidades – em Lisboa é mais fácil, seus alfacinhas sortudos!. Este comprei num mercado em Amesterdão (até uma abóbora veio na mala!). Aproveitei e comprei também para semear e para plantar. Pode ser que corra bem… De qualquer modo, se não tiver, fica bom só com morangos ou com uma mistura de frutos vermelhos, mesmo congelados.

IMG_1585 IMG_1600

  • 2 talos de ruibarbo
  • 300g de morangos
  • 2 colheres de sopa de xarope de ácer (ou outro adoçante). Se os morangos forem bem docinhos, pode por menos
  • 1/4 de chávena de açúcar (usei de coco)
  • 1 chávena (bem cheia) de flocos de aveia
  • 1 chávena de farinha (de trigo, espelta ou aveia)
  • 2 ou 3 colheres de sopa de óleo de coco

FullSizeRender

  1. Corte o ruibarbo em rodelas.
  2. Corte os morangos em pedaços grosseiros.
  3. Junte o ruibarbo e os morangos numa tarteira ou numa assadeira pequena.
  4. Regue com o xarope e misture bem
  5. Numa tigela, junte a farinha, os flocos de aveia, o açúcar e o óleo de coco. Se o óleo de coco estiver muito frio, aqueça-o ligeira-me para derreter e ser mais fácil misturar.
  6. Cubra a mistura do ruibarbo e morangos com este granulado, espalhando o melhor que conseguir.
  7. Leve ao forno pré-aquecdio a 180º, durante cerca de 30, ou até que esteja dourado.
  8. Sirva bem fresquinho frio.

Nota: Pode também juntar 1/4 de chávena de amêndoa granulada ou laminada à mistura de aveia e farinha, para uma textura bem crocante!

IMG_40981

Mousse de Abacate e Cacau

Eu sei que a esta altura, não há blog de receitas que se preze que ainda não tenha partilhado uma mousse de abacate e cacau. Já venho um bocado atrasada… Mas esta manhã estive a fazer manteiga de avelã e já que tinha a bimba suja, aproveitei para fazer um docinho para mais logo. Agora que partilho esta receita já posso dizer que tenho um blog de receitas que se preza.
Há inúmeras versões deste tipo de mousse. A base em todas é o abacate – é importante que esteja maduro. O resto dos ingredientes vai variando. Há com cacau em pó ou com chocolate derretido, com ou sem banana, com ou sem leite, com ou sem óleo de coco… Os adoçantes também podem ser gosto: ácer, stevia, agave, tâmaras…
Depois de provarem qualquer uma destas versões, todas elas bem saudáveis (os benefícios do abacate são já bem conhecidos), não vejo razão para se voltarem à tradicional! Além de tudo, o que para mim é uma grande vantagem, resultam numa quantidade perfeita para uma sobremesa para duas pessoas. E temos uma deliciosa e saudável sobremesa vegan, quase instantânea!
Pode servir esta mousse simples ou com granola ou frutos secos para uma textura crocante!

IMG_0923

  • 1 Abacate maduro
  • 1 Banana madura
  • 4 Tâmaras medjool
  • 2 C. de sopa de cacau puro
  • 1 C. de sopa de manteiga de avelã (opcional)

IMG_0920

  1. Comece por demolhar as tâmaras, sobretudo se estiverem um pouco secas, durante uns dez minutos ou mais.
  2. Num processador, coloque as tâmaras e desfaça-as, durante uns segundos.
  3. Junte os restantes ingredientes e processe até estar bem cremoso e homogéneo.

Pode comer logo em seguida, mas fica melhor se levar umas horas ao frigorífico.

IMG_0919

Tiramisù de Avelã

Dos seis meses que vivi em Itália (já lá vão 14 anos) trouxe comigo amigos para sempre, muitas lembranças e fotografias de gente muito doida e de passeios divertidíssimos, o hábito de comer curgetes e beringelas e um caderninho de receitas onde ia escrevendo as coisas novas que aprendia e que provava.

Uma dessas receitas e que nunca mais precisei de ler foi a do tiramisù que adoçou muitas bocas dos meus amigos e familiares ao longo de muitos anos. Por isso, quando encontrei esta receita de tiramisù vegan não descansei enquanto não a fiz, mesmo sabendo que o sabor não seria nem parecido – os únicos ingredientes em comum com a receita original são o açúcar, o café e o cacau. Mas isso é o suficiente para sabermos que estamos a comer tiramisu. Isso e a textura dos biscoitos (neste caso as tostas) molhados em café do creme bem macio. A presença das tostas foi uma surpresa tal que até confirmei com a autora da receita, não fosse eu estar a traduzir mal…

Da primeira vez que fiz esta sobremesa as tostas não ficaram bem molhadas no café – big mistake! Depois voltei a fazer de novo, corrigi esse erro e dividi o creme para experimentar também uma versão com bolachas digestivas em vez das tostas. Fica mais doce e um pouco mais seco. Eu preferi com tostas mas o das bolachas também teve adeptos.

O creme de avelã é mesmo delicioso. Tenho muitos planos para ele!

receita original aqui

IMG_3963

  • 200g de avelãs tostadas
  • 600g de leite vegetal (uso de soja natural provamel)
  • 130g de açúcar (reduzir se usar um leite já açucarado)
  • 20g de fécula de batata
  • 1 c. de chá de agar agar demolhada num pouquinho de água
  • Tostas integrais ou bolachas tipo digestivas
  • Café (açucarado)
  • Cacau puro

IMG_3964

Num processador triture as avelãs com o açúcar (bimby: 1minuto, vel 10).

Junte 200g de leite e triture novamente até fazer um creme (bimby: 1 minuto, vel 10).

Transfira para um tacho, junte os restantes ingredientes e mexa muito bem com uma vara de arames (caso use bimby, não precisa de transferir, junte os restantes ingredientes no copo).

Leve ao lume e e quando levantar fervura, deixe cozer cerca de 10 minutos em lume brando, mexendo sempre com a vara de arames (bimby: 8 min, 90°, vel 4 ).

Desligue e deixe arrefecer até ficar morno.

Para a montagem do tiramisù:

Coloque uma pequena quantidade de creme no fundo de uma assadeira.

Molhe as tostas no café (molhe bem porque, ao contrário dos biscoitos savoiardi, as tostas não absorverem muito o café).

Coloque por cima das tostas uma boa camada de creme.

Alterne as camadas, finalizando com o creme.

Polvilhe com cacau e deixe repousar algumas horas no frigorífico (fica melhor no dia seguinte).IMG_3958 IMG_3960

Trufas de Chocolate

Fiz estas trufas para o dia do pai e ele nem queria acreditar que eu lhe estava a dar guloseimas! Mas estas guloseimas são muito especiais. São um pouco calóricas, é verdade, mas incomparavelmente mais saudáveis e, ainda assim, menos calóricas do que qualquer bombom comum.

As tâmaras, ingrediente-base destas trufas, são ricas em magnésio, potássio e cálcio e vitamina B5. Além disso, são naturalmente doces e uma boa fonte de energia! Escolha sempre as tâmaras sem glicose – identificam-se bem porque a glicose deixa-as brilhantes, mas em caso de dúvida, consulte o rótulo da embalagem. O único senão das tâmaras é o preço (aproveitei todas as promoções de frutos secos antes e depois de natal para me abastecer)!
Em relação aos frutos secos, devem ser demolhados cerca de 6 horas (ou de um dia para o outro) para destruir substâncias como os fitatos, tornando-os mais nutritivos e mais fáceis de digerir. A água de demolhar deve depois ser descartada e os frutos devem ainda ser passados por água limpa antes de serem usados em receitas ou ingeridos.
Tirando a parte da demolha, estas trufas fazem-se em 5 minutos ficam tão boas e bonitinhas que fazem um óptimo presente caseiro para pessoas especiais.

IMG_3186

  • 1 chávena de frutos secos (nestas usei meia de cajus e meia de amêndoas) demolhados
  • 1 c. de sopa de óleo de coco
  • 3 colheres de sopa de cacau puro
  • 8 tâmaras medjool (sem glicose)
  • Coco ralado ou granulado de amêndoa q.b., para envolver

IMG_3177

  1. No processador, coloque os frutos secos e o óleo de coco e triture até ficar em pasta.
  2. Acrescente as tâmaras e triture novamente até que fique bem homogéneo.
  3. Finalmente, adicione o cacau, e triture mais alguns segundos para envolver bem.
  4. Deixe a massa arrefecer alguns minutos, de preferência no frigorifico, para ser mais fácil de moldar. A massa acabada de fazer torna-se bastante pegajosa…
  5. Molde as bolinhas do tamanho de berlindes grandes.
  6. Passe-as por coco ralado ou por granulado de amêndoa. Pode também passar por cacau mas eu acho um pouco enjoativo.
  7. Deixe-as repousar no frigorífico para ficarem mais firmes.

IMG_3184

Curd de Limão

Este é o curd que serviu de cobertura ao bolo de limão do último post. Eu que andei anos para fazer um curd de limão, acabei por nunca fazer o original, com ovos, e comecei logo por esta versão vegan e muito mais saudável! Este creme fica muito cremoso mas não muito doce. Se preferir um sabor mais doce, sugiro que substitua o xarope de agave por outro adoçante ou mesmo por açúcar. Pessoalmente gosto assim.

Os cajus foram demolhados apenas cerca de meia hora, mas caso o seu liquidificador não seja muito potente, é melhor deixar umas seis horas para o resultado ficar bem cremoso.

Com o creme pode cobrir ou rechear bolos ou queques ou mesmo fazer o recheio de uma tarte. Também é uma delícia em torradas barradas com óleo de coco!

IMG_1679

Sumo de dois limões grandes (cerca de 2/3 de chávena)

  • 1/3 de chávena + 2 colheres de sopa de água
  • 1/2 chávena de cajus ao natural demolhados
  •  2/3 chávena de geleia de agave (ou outro adoçante)
  • 2 colheres de sopa de amido de milho (maizena)
  1. Coloque no copo do liquidificador o sumo de limão, 1/3 de chávena de água, os cajus e a geleia de agave.
  2. Bata até a mistura ficar completamente homogénea.
  3. Transfira para um pequeno tacho e deixe levantar fervura em lume médio.
  4. Numa pequena chávena, faça uma pasta com o amido de milho e as duas colheres de sopa de água
  5. junte a pasta de amido de milho no tacho, mexendo constantemente, se necessário baixe o lume para o mínimo
  6. deixe cozinhar por cerca de uma  dois minutos, até engrossar um pouco.
  7. Depois de retirar do lume, mexa ainda mais um pouco, uma vez que como o tacho ainda está quente, podem ainda formar-se grumos.
  8. Utilize depois de frio.

Nota: Quem tem bimby ou semelhante, pode fazer todos os passos na máquina, cozinhando temperatura 100º, vel. 4, durante cerca de 7 minutos e, depois de juntar o amido mais dois minutos em temperatura 90º, na mesma velocidade 4.

IMG_1664