Queques de abóbora e melaço

Bolinhos perfeitos e saudáveis são feitos com abóbora! Ficam super saborosos e macios! Infelizmente demorei a descobrir isso, mas desde que conheci todas as potencialidades deste humilde mas incrível legume, o meu mundo culinário ganhou outra dimensão! São quilos e quilos de abóboras de todos os tamanhos e feitios que passam por esta cozinha de Outubro a Dezembro! Vão parar em sopas e em frascos de doce, mas também em risotos, cremes e scones, bolos e bolachas!

Como já mostrei aqui, costumo fazer puré de abóbora assada que depois congelo em doses de uma chávena para usar nas mais variadas receitas.

Desta vez saíram uns queques tão bons, mas tão bons que nem vou dizer mais nada sobre eles! Experimentem!

IMG_8432

  • 1 chávena de farinha de espelta
  • 1/4 de chávena de farinha de aveia (flocos moídos)
  • 1/4 de chávena de açúcar mascavado
  • 1/2 chávena de leite de amêndoa (ou outro leite vegetal)
  • 1 chávena de puré de abóbora
  • 1/2 chávena de óleo vegetal 
  • 1 colher de sobremesa de fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 1/2 colher de chá de noz moscada, moida
  • 1/2 colher de chá de gengibre fresco ralado
  • 2 colheres de sopa de melaço
  • 4 cravinhos moidos
  • 6 sementes de cardamomo, moidas

IMG_8595

  1. Numa taça grande, junte as farinhas, o açúcar o fermento, as especiarias e o sal.
  2. Numa taça à parte, junte o leite, o óleo, o puré de abóbora e o melaço. Misture até formar um liquido homogéneo.
  3. Junte o liquido à mistura das farinhas.
  4. Mexa muito bem com uma vara de arames até não ter grumos e ficar uma massa cremosa e homogénea.
  5. Unte 14 formas de queques (caso não use de anti-aderentes) com um pincel ou um guardanapo embebido num pouco de óleo.
  6. Distribua a massa nas formas até encher cerca de 2/3.
  7. Leve ao forno pré-aquecido a 180º por 15 a 20 minutos.
  8. Desenforme e deixe arrefecer, de preferência numa rede.IMG_8474

bolo de cenoura, coco e laranja

Piquenique que é piquenique, tem de ter bolo! Eu cá gosto muito de bolo caseiro, em qualquer ocasião, mas comido ao ar livre, acompanhado com uma chávena de café de cafeteira, transportada no termo (não estou a ser irónica, gosto mesmo), assenta que é uma maravilha!!

Queria fazer um bolo de cenoura e não conseguia decidir se havia de ser com coco ou com laranja. Resolvi o dilema assim: bolo de cenoura com coco e laranja. E fui inventando à medida que ia fazendo… Por exemplo, inicialmente tinha ideia de usar a raspa e só sumo de laranja, mas quando vi a polpa no espremedor, não a quis desperdiçar. Acabei por já não usar a raspa.

O resultado destes bolos inventados nem sempre é um sucesso… Já fiz alguns que só agradaram ao cão, que gosta sempre de tudo… Mas não foi o caso deste. Ficou bem ao gosto cá de casa: um bolo pequeno, um pouco húmido, por causa da polpa de laranja, com uma textura interessante porque se notam pedacinhos de cenoura e coco ralado (usei coco ralado bio que, pelo menos o que compro, é em pedacinhos maiores e ralei também a cenoura grossa – se preferir uma massa mais homogénea, rale fininho) e com uma combinação de sabores muito deliciosa! A cenoura tem uma doçura natural que permite usar pouco açúcar e ainda assim conseguir um bolo bem docinho e mais saudável!

Para transportar e conservar o melhor mesmo são os bolos sem recheios nem cobertura, bem simples. Este fiz especificamente numa forma de bolo inglês por ser um formato mais jeitoso para levar para fora. Depois de arrefecido, voltei a coloca-lo na forma e está pronto a levar, sem ter de sujar mais loiça – penso sempre nessas questões! 😉

IMG_4035

  • 3 cenouras médias
  • 2 laranjas pequenas(ou 1 grande – de modo a fazer cerca de 100ml de sumo)
  • 150g de farinha
  • 70g de açúcar (usei de coco)
  • 50ml de leite vegetal (usei de aveia)
  • 50ml de óleo de girassol
  • 1 c. de chá de fermento

IMG_4012 IMG_4011

  1. Junte a farinha, o coco, o fermento e o açúcar.
  2. Rale as cenouras e junte à mistura anterior.
  3. Esprema as laranjas e, numa tigela à parte, junte o sumo com o leite vegetal e o óleo
  4. Junte a polpa das laranjas espremidas à tigela dos sólidos e mexa para misturar muito bem.
  5. Finalmente acrescente os líquidos aos poucos e vá mexendo até ficarem bem incorporados.
  6. Se a forma não for de silicone ou anti-aderente, unte-a e polvilhe-a.
  7. Verta o preparado na forma e leve ao forno pré-aquecido a 180º, durante cerca de 40 minutos.
  8. Deixe arrefecer 5 minutinhos antes de desenformar. Se for para levar para fora, deixe-o arrefecer completamente, de preferência em cima de uma rede, antes de o colocar na boleira, tupperware ou no recipiente que quiser (eu, como já disse, usei a mesma forma em que cozeu).

IMG_3983

Bolo com recheio de morangos

Há anos que não compro morango. Espero pacientemente que os da minha mãe fiquem maduros. Por isso me sabem especialmente bem e, de certeza, também fazem melhor. Apesar de adorar morangos, não me custa a espera, porque sei que vão chegar para comer assim, para congelar, para fazer sobremesas e, às vezes até para fazer doce.
A versão tradicional deste bolo (ovo-lacto), já há muito que aparece na minha cozinha uma vez por ano. No ano passado, já andava a deixar o leite e os derivados e por isso tinha decidido que no ano seguinte o iria fazer com natas vegetais. Afinal este ano, o pão-de-ló também já não tem ovos! Em vez das natas vegetais preferi experimentar com o leite de coco, usando esta técnica fantástica para fazer “natas”, usando a parte
Claro que este bolo não é tão fofo como o pão-de-ló tradicional, e estas “natas” que me lembrei de usar aqui (e tão bem que combinam!), também não rendem tanto. Por isso, para não ficar seco, é importante deixar os morangos algumas horas com o açúcar, para o molho com que iremos regar o interior do bolo. Eu gosto de usar os morangos em pedaços no recheio, mas na verdade fica mais perfeitinho se os passar com uma varinha mágica para fazer um creme que irá rechear e colar as duas metades do bolo.
Este bolo tem de ser pensado com alguma antecedência, uma vez que a lata de coco tem de ser refrigerada pelo menos 8 horas (se for mais, melhor) e os morangos também devem ficar algumas horas a fazer o molho. A taça onde vai bater o coco, também deve ser refrigerada uma meia hora, para estar bem fria.

IMG_1825

• 350g de morangos
• 2 colheres de sopa de açúcar de coco (ou outro)
• 4 colheres de sopa de água
• 1 lata de leite de coco (não pode ser light) refrigerada, pelo menos 8 horas.
• 2 ou 3 colheres de chá de açúcar em pó (preferencialmente)
• 1/2 vagem de baunilha (opcional)

Para o bolo:

• 300g farinha
80g fécula de batata
• 300g (cerca de 300ml) de leite de soja
• 85 g de óleo de girassol
• 2 c. de chá de fermento
220 g açúcar
Óleo e farinha para untar a forma

 IMG_1715

1. Lave e arranje os morangos, corando-os em pedaços pequenos.
2. Junte 2 c. de sopa da de açúcar e as 4 c. de sopa de água e leve ao frigorífico umas horas (pode ser de um dia ou uma noite, por exemplo).

Entretanto prepare o bolo:
3. Misture farinha, a fécula e o açúcar numa taça grande.
4. Continuando sempre a bater, junte o leite se soja, depois o fermento e por fim o óleo.
5. Deixe repousar cerca de dez minutos.
(Na bimby: Reduza o açúcar a pó : 30s, vel. 9. Junte todos os ingredientes e bata 40s, vel. 4 a 5).
6. Pincele a forma com um pouco de óleo e polvilhe com farinha.
7. Leve o bolo ao forno pré-aquecido a 180º, por cerca de 45 minutos.
8. Deixe arrefecer, de preferência numa grelha.

    FotorCreated

9. Depois de frio, retire o bolo para o prato de servir, corte-o horizontalmente, com uma faca ou um cortador próprio, e separe cuidadosamente as duas partes.
10. Com o suco que se formou dos morangos, regue as duas partes cortadas. Seja especialmente generoso com a parte de cima.
11. Reserve uma parte dos morangos (escorridos) para decorar o bolo e distribua a restante na metade de baixo do bolo. Pode usar os morangos em pedaços ou reduzi-los a puré com uma varinha mágica.
12. Coloque a parte de cima do bolo.

IMG_1780IMG_1786

13. Retire a lata de coco do frigorífico e se, a agitar, abra-a cuidadosamente.
14. Na parte de cima da lata está formada uma camada espessa. Retire-a cuidadosamente com uma colher, deixando a parte mais líquida (pode usar este líquido noutra receita).
15. Coloque o creme espesso numa taça bem fria, junte o açúcar e as sementes da vagem de baunilha e bata com a batedeira, até fazer um creme tipo chantilly.

16. Cubra o bolo com este creme e decore com os morangos reservados. Leve ao frigorífico e sirva bem frio.

IMG_1809

Bolo de maçã com canela e cardamomo

Nunca fiz tantos bolos na minha vida como nos últimos meses. A descoberta de bolos sem ovos e com pouco açúcar veio revolucionar o consumo de bolos cá em casa. Antes não os fazia só para dois, para não termos de andarmos a semana toda a comer açúcar e ovos em quantidade. Agora comemo-los de consciência mais tranquila, ainda que com moderação, claro!
A farinha de espelta é também uma descoberta recente. Mais saudável do que a farinha de trigo (e com menos calorias), rica em fibras e em proteínas, é uma excelente alternativa, mesmo à farinha integral.
Este bolo com farinha de espelta foi provado e aprovado por várias pessoas. Fi-lo pouco doce, que é como gosto – a gulosa da minha mãe disse que era bom, mas não era bem bolo! Para uma dose extra de doçura, pode sempre usar mais açúcar ou maçãs mais doces, como as golden. Mas eu acho que assim fica óptimo porque destaca o sabor fresco do cardamomo e a acidez da maçã reineta!

  • IMG_38113 maçãs reineta
    400g de farinha de espelta
    100g de açúcar de coco (ou açucar mascavado)
    1/3 de chávena de óleo vegetal (80g)
    1 chávena de água
    1c. de chá de fermento
    1 pitada de sal
    1 c. de chá de canela em pó
    10 sementes de cardamomo

IMG_3777

  1. Abra as sementes de cardamomo retire a cápsula esmague-as num almofariz.
  2. Peneire a farinha para uma taça grande e junte o açúcar e o fermento, a canela e o cardamomo e o sal.3
  3. Descasque as maças e parta-as aos cubos. De preferência, faça isto com uma faca de cerâmica, para não oxidarem tanto (também pode rega-las com umas gotas de sumo de limão).
  4. Junte a água, o óleo à farinha e mexa vigorosamente com uma colher de pau, ou com uma batedeira.
    Se a massa estiver muito espessa, adicione mais um pouco de água.
  5. Junte os pedaços de maçã e misture. Esta farinha faz uma massa diferente da farinha de trigo e não agarra ma maçã, mas não se preocupe, depois de cozido, fica tudo bem ligado.
  6. Transfira par uma forma untada ou de silicone.
  7. Leve ao forno pré-aquecido a 180º, durante 20 minutos.
    Aumente o forno para os 200º e deixe cozer mais 10 minutos.

IMG_3786

Tarte de coco e cacau

Com a Páscoa aí à porta, vem mais uma oportunidade de juntar a família e fazer aquilo que melhor fazem quase todas as famílias: discutir e comer!  Esta tarte de coco e cacau fica muito bem no papel de sobremesa para adoçar alguns amargos de boca porque, embora não seja nada elaborada, é doce, húmida e suficientemente saudável para todos poderem comer sem culpas e sem chatices…
A ideia surgiu-me da necessidade de usar o coco depois de fazer leite de coco. É uma boa forma de aproveitar esses flocos que ficam húmidos e por isso já não dão para guardar muito tempo, a não ser que se congele… Mas é claro que pode ser feita com coco novo e seco, que até tem um sabor mais acentuado!

IMG_2907

  • 200g coco ralado (reserve um pouco para decorar)
  • 200g de farinha de trigo
  • 1c. de chá de fermento
  • 80 a 100g de açúcar (de coco, mascavado ou amarelo)
  • 1/3 de chávena de óleo (de girassol, milho ou coco)
  • 350 ml de leite de coco (ou outro leite vegetal)
  • 1/2 chávena de cacau

IMG_3522

  1. Junte o coco com o leite, o açúcar e o óleo e bata à mão ou com a batedeira, para envolver tudo muito bem.
  2. Misture a farinha com o fermento e junte aos poucos à mistura de coco.
  3. Por fim junte o cacau. Bata um pouco com a batedeira.
  4. Transfira para uma tarteira de silicone ou de fundo amovível, untada e leve ao forno pré-aquecido a 180º, cerca de 30 minutos. Tenha atenção para não deixar demasiado cozido e não perder a humidade.
  5. Decore com o coco reservado depois de desenformar.IMG_2905

Queques de Pão de Banana

Quem nunca teve umas bananas esquecidas na fruteira, a pedirem misericórdia? Quando isso acontece aqui em casa (às vezes entusiamo-me com as promoções), congelo para usar em batidos e gelados ou faço estes bolinhos (receita adaptada daqui).
Inspirados no banana bread, um clássico da cozinha americana, estes queques são práticos e suficientemnte saudáveis para levar para um lanchinho no trabalho ou na escola.
A massa fica densa e húmida e, ao que parece, mantêm-se frescos vários dias, mas isto eu não posso confirmar porque aqui nunca duraram mais de dois…

  • 1 maçã + 1 colher de sopa de água
  • 2 colheres de sopa de sementes de linhaça moídas + 6 colheres de sopa de água
  • 2 chávenas de farinha de trigo (uso 2/3 integral e 1/3 branca)
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1 pitada de sal
  • 4 bananas muito maduras
  • 1/3 de chávena de açúcar amarelo ou mascavado (ou outro ou mesmo nenhum)
  • 1/3 de chávena de óleo vegetal
  • ½ colher de chá de canela

IMG_1188

  1. Comece por cozer a maçã descascada e em pedaços, com 1 colher de sopa de água e quando estiver mole, desfaça-a com uma colher de pau até ficar em puré.
  2. Entretanto, numa chávena pequena, misture a linhaça com a água e reserve.
  3. Numa taça maior, misture a farinha com o fermento, a canela e o sal.
  4. Numa outra taça, esmague as bananas com um garfo até ficarem em papa.
  5. Junte às bananas o óleo, a linhaça e o puré de maçã.
  6. Junte estes ingredientes húmidos à taça da farinha e misture muito bem.
  7. Divida a massa pelas formas de queques (se não forem anti-aderentes, pincele-as com um pouco de óleo). Preencha as formas até cerca de 2/3 (rende cerca de 17 bolinhos pequenos).
  8. Leve ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 20 minutos.
  9. Depois de desenformados deixe arrefecer, de preferência numa grelha.IMG_1194

Bolo de limão e sementes de papoila

Este post deveria ser sobre avelãs, mas alguém as comeu antes que eu pudesse terminar a receita…

Entretanto fiz este bolo de limão, inspirado numa receita vi há uns tempos na internet e na qual meti a minha colherada. Embora seja maçarica em matéria de bolos vegan (bolos nunca foram o meu forte) gostei bastante do resultado.

Este bolo fica bom simples, mas melhor ainda com uma cobertura cremosa. Neste caso, a cobertura foi um curd de limão que lhe deu um sabor mais rico e um ar de festa.

IMG_1644


  • 2 Limões (sumo e raspa)
  • 1 1/2 Chávenas de farinha (usei metade de branca e metade integral)
  • 1 Chávena de açúcar (usei metade açúcar baunilhado e metade açúcar amarelo)
  • 1 Colher de chá de fermento
  • 5 Colheres de sopa de óleo vegetal
  • 1 Colher de chá de vinagre de cidra
  • 3/4 Chávena de água
  • 3 Colheres de chá de sementes de papoila

IMG_1639

  1. Numa tigela maior misture a farinha, o fermento, o açucar e a raspa de limão
  2. Numa outra tigela misture os ingredientes líquidos: sumo de lião, óleo, vinagre e água
  3. Verta os líquidos sobre a mistura da farinha e bata com uma vara de arames, até estar tudo bem emulsionado.
  4. No final junte as sementes e misture bem
  5. Transfira para uma forma de bolo inglês untada ou forrada e leve ao forno pré-aquecido a 180º, durante 25 minutos.
  6. Desenforme e deixe arrefecer antes de colocar a cobertura, se for o caso.IMG_1643

Panquecas vegan

Esta receita foi uma agradável surpresa. Depois de ter experimentado outras receitas e de não ter experimentado muitas mais por me parecerem demasiado complicadas ou terem ingredientes que não tinha em casa, finalmente encontrei as panquecas vegan perfeitas.

A receita vem daqui: http://www.oneingredientchef.com/vegan-pancakes/

  • 1 chávena de farinha (de trigo ou uma mistura com integral e/ou farinha de arroz ou aveia)
  • 1 colher de chá de açúcar (ou outro adoçante)
  • 1 colher de chá de fermento
  • 1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • ½ colher de chá de sal
  • 1 c de sopa de sementes de linhaça moídas
  • 1 chávena de leite vegetal
  • 1 colher de chá de vinagre de cidra
  • 1 colher de sopa de óleo de coco

Featured image

  1. Junte uma colher de sopa de sementes de linhaça com duas colheres e meia de água. Misture bem e reserve. Este vais ser o “ovo” da receita.
  2. Para fazer o buttermilk, adicione a colher de chá de vinagre de cidra ao leite vegetal.
  3. Numa tigela misture os ingredientes secos (farinha, açúcar, fermento e bicarbonato de sódio).
  4. Numa outra tigela mais pequena, junte o buttermilk (o leite vegetal com o vinagre de cidra), uma colher de sopa de óleo de coco derretido (alguns segundos no micro-ondas) e o “ovo” de linhaça. Misturar bem. O óleo de coco vai novamente solidificar ao entrar em contacto com os líquidos frios, mas isso não é um problema, uma vez que vai derreter novamente na frigideira quente e acaba por se misturar perfeitamente com os outros ingredientes.
  5. Para juntar os ingredientes secos e líquidos, verta os líquidos na tigela dos secos, aos poucos, mexendo para incorporar bem, tendo o cuidado de não “bater” a massa.
  6. Numa frigideira anti-aderente bem quente, de preferência untada com um pouco de óleo do coco, coloque colheradas de massa deixe cozinhar até começar a fazer bolhinhas (cerca de dois minutos), vire-as e deixe cozinhar mais um pouco do outro lado.

unnamed